E se Eu Fosse?…

E se eu fosse preto? Devia ser maltratado por isso?
E se eu fosse branco? Devia ser glorificado?
E se eu fosse homossexual? Gay? Paneleiro? Maricas? Bicha? Sapatona? Lésbica? Lambedora de velcro? Fessureira? Fufa? Estaria fora da lei de Deus?
E se eu fosse Bispo católico? Devia ser pedófilo?
E se eu fosse Bispo evangélico? Devia receber dízimo?
E se eu fosse Pastor protestante? Devia foder?
E se eu fosse ateu? Devia não ter direito a viver em paz?
E se eu fosse mulher? Devia acusar um homem de assédio?
E se eu fosse homem? Devia assediar uma mulher?
E se eu fosse deputado português? Devia ir a Serralves ver as pilas do Mapplethorpe?
E se eu fosse deputado português? Devia legislar em causa própria?
E se eu fosse deputado português? Devia ser leal ao partido? Devia ser fiel ao povo que me elegeu?
E se eu fosse Santana? Devia fazer mais um partido igual aos outros a fingir que é diferente?
E se eu fosse Aníbal? Não, eu não podia ser Aníbal!
E se eu fosse professor? Devia gostar do Mário Nogueira?
E se eu fosse PSP? Devia pagar a farda?
E se eu fosse GNR? Devia pagar a farda?
E se eu fosse Comando? Devia morrer na recruta?
E se eu fosse parvo? Devia levar um par de estalos?
E se eu fosse Índio norte-americano? Devia pôr o Donald Trump fora dos Estados Unidos?
E se eu fosse o Donald Trump? Devia assediar mulheres? E homens? E gabar-me de ser único? E grande? E enorme? E espectacular? E devia levar dois pares de estalos?
E se eu fosse Alexandre Frota? Devia fazer anal técnico?
E se eu fosse Jair Bolsonaro? Devia dar um tiro nos cornos?
E se eu fosse Povo? Devia ser estúpido?

[escrito directamente no facebook em 2018/10/05]

Anúncios

Volátil

Ela vai à frente a correr. Não vai sempre? Não vai sempre à frente? A correr? Vai a correr desalmada duna acima, duna abaixo. Em direcção ao mar. Às ondas frias de Setembro. E mergulha sem medo.
Ela vai à frente a correr, mas vira-se. Vira-se para trás. Vira-se sempre para trás. Para mim. Ou sou eu que a faço virar? Que imagino que ela se vira? Ela vira-se para trás mas não lhe vejo a cara. O sol bate-lhe nos cabelos d’ouro e explodem em partículas douradas que a escondem. E não a consigo refazer.
Como esqueci a cara?
Mergulha.
Mergulha e vai, vai, vai por ali fora até ao princípio do mar.
Princípio de incertezas.
Até aos meus olhos?
Até às lágrimas dos meus olhos?
Onde moro? Onde moram?
O sangue corre ácido nas veias. Cospe. Vomita.
Como esqueci a cara?

[escrito directamente no facebook em 2018/09/28]

Mulheres que Já Conheci

Já conheci mulheres assim e assado;
Mulheres que cozinharam para mim e para quem eu cozinhei;
Mulheres que me sustentaram e a quem eu dei vida;
Mulheres com dores de cabeça e que me atormentaram;
Mulheres que me amaram e eu odiei;
Mulheres que eu amei e me fugiram;
Mulheres que me deram banho e eu pintei;
Mulheres orgulhosas e de quem me fartei;
Mulheres loucas, doidas, e que me desnortearam;
Mulheres que me compreendiam e que eu não percebi;
Mulheres que me agarraram com unhas e dentes e de quem eu escapei;
Mulheres louras, morenas, pretas e ruivas;
Mulheres por quem eu lutei;
Mulheres por causa de quem matei;
Mulheres que amei;
Mulheres que odiei.
Enfim, mulheres, como são todas aquelas por quem me deslumbrei.

[escrito directamente no facebook em 2018/09/10]