É Preciso Coragem para Fazer uma Limpeza Geral

Estou constipado, mas hoje obriguei-me a sair de casa. Preciso de esticar os pés. Tenho a casa suja e não tenho espírito para a limpar. Sinto-me cansado e sem vontade de fazer nada. E o pó e a sujidade, restos de comida e algum lixo que as janelas abertas franqueiam levam a que me movimente em casa com os pés de lado, para não os sujar. Não consigo colocar a planta dos pés naquele nojo. Mas também não consigo fazer limpeza. Na verdade só me apetece estar na cama, com os cobertores por cima da cabeça e esquecer que estou vivo. Cada vez que a campainha toca – e imagino que nunca será ninguém para me dar nada -, são como agulhas a espetarem-me o cérebro.
Mas hoje saí de casa. Tomei banho, vesti-me, calcei-me e com muita coragem, abri a porta da rua. Quando cheguei mesmo à rua, ao passeio de calçada portuguesa com lojas ao longo do caminho, forcei a planta dos pés inteira a sentir o chão. E soube-me tão bem. Estava a precisar disto. Sentir o chão inteiro debaixo de mim.
Era já depois de almoço e este sol de Setembro, quente mas não a ferver, adormecia-me. Fechei os olhos e deixei-me caminhar, sem ver, ao longo do passeio. Não choquei com ninguém, embora ouvisse alguns impropérios dirigidos a mim, nem bati contra nenhum poste, nem carro, nem caí… Estes segundos, talvez minutos, foram do melhor que a vida me deu nos últimos tempos. Uma pequena felicidade no meio de tudo isto que tenho vivido.
Entrei numa livraria. Encontrei um reedição de Esta Noite Sonhei com Brueghel de Fernanda Botelho e senti uma compulsão enorme de o comprar. Contei todas as moedas. Percebi que já não ia poder comprar o pão que vim à rua comprar. Mas também percebi que precisava de alimentar o espírito mais que a barriga. Acho que este livro me vai fazer mal e deixar mais deprimido do que já estou. Mas foi mais forte que eu (sim, eu sou fraquinho!).
Para já, continuo constipado. E este passeio pelo sol só veio agudizar isso.
Voltei para casa. Despi-me e entrei na cama. Encolhi-me como se quisesse voltar para de onde vim. Tapei-me com os cobertores. Uma inspiração mais forte fez-me sentir a transpiração que pairava pelo quarto, pela cama… Amanhã tenho de arranjar coragem de fazer uma limpeza. Tenho de conseguir sentir-me melhor. Mas não vai ser fácil. Olhei as fotografias que tinha na mesa-de-cabeceira. E virei-as para baixo.

[escrito directamente no facebook em 2017/09/27]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s