Uma Navalha e o Fundo

Evitei sempre fazer a barba. Por isso tenho-a sempre um pouco grande. Não porque goste. Mas por medo. Medo que a minha mão ganhe vontade própria e, com a navalha afiada, me corte o pescoço.

Enquanto cais, percebes que o poço não tem fundo. Ou descobres o fundo quando percebes que já não consegues cair mais.

[escrito directamente no facebook em 2017/07/04]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s